O que significa usar aliança?

Guia Festa   21/05/2022 21:30

Usar a aliança é um costume. De onde ele vem? Esse costume se baseia em que crenças?

 

Origens e significados 
A palavra aliança tem origem no latim alligare, que remete para uma relação de proximidade, de união. Fazer uma aliança com alguém é fazer um acordo, um pacto, uma união. Assim, o anel com nome de aliança é uma lembrança do pacto entre o casal. 

Os egípcios foram conhecidos como os primeiros a trocarem os “anéis do amor”, há 5.000 anos atrás. Esses anéis eram feitos em couro ou tecido. Eles consideravam o anel um símbolo muito poderoso, por se tratar de um círculo: não possui início nem fim. Assim, foi o princípio da ideia de vida eterna e amor imortal. Além disso, em seus aneis, havia uma abertura e a qualificavam como um portão para um mundo desconhecido. 
Os egípcios significaram várias crenças importantes na nossa cultura até hoje, não é? E, não para por aí: da cultura egípcia surgiu o costume de usá-lo no dedo anelar. Eles acreditavam que usá-los no 4º dedo era ideal, pois é  nesse dedo que se localiza a veia que se conecta diretamente ao coração.

Na Grécia, o uso de alianças matrimoniais foi introduzido por Alexandre, o Grande. As alianças eram confeccionadas em ferro imantado, o que assegurava que os corações dos noivos permanecessem para sempre conectados, mantendo a atração.
Além disso, há relatos de que os gregos foram os precursores em divulgar e aumentar a tradição da aliança de casamento. Na Grécia, a aliança era um sinal de cuidado e afeição. 
Os anéis usados pelos gregos eram chamados de anéis de noivado e dados antes do casamento. O curioso é que, para eles, dar um desses anéis de noivado, não era apenas para casamentos, mas também um presente para amigos ou pessoas importantes,como um anel de amizade!
 
Já, em Roma, acredita-se que adotou-se o uso das alianças, quando conquistaram a Grécia. Logo, com o desenvolvimento do mundo greco-romano ao cristianismo romano, o uso da aliança na mão esquerda tornou-se obrigatório para os que se casavam.

Os romanos tinham crenças muito parecidas com a dos egípcios sobre as alianças. Contudo, além de oferecer as alianças de casamento como um símbolo de amor, também as presenteavam como símbolo de posse. Os homens romanos acreditavam que iriam ter posse de suas mulheres dando-lhes um anel.

Na Ásia, existia um tipo de joia usada como aliança de casamento e que era bastante complexa, conhecida como “anéis puzzle”, que poderiam ser montados e desmontados apenas por pessoas que conhecessem o seu segredo: geralmente, só os maridos. Eles acreditavam que aquilo faria o marido saber se a esposa havia sido infiel. 

Na Europa, há vários séculos atrás, antes de se chamarem alianças de casamento, os anéis possuíam o nome de “anel de poesia”. A aliança era dada de presente à uma pessoa querida, como forma de promessa e fidelidade, significado e amor.

Na América, durante o período colonial, usar joias nas Américas era um ato proibido e considerado inútil, supostamente, imoral. Para representar a união entre o casal, um dedal era dado pelo marido à sua esposa, que costumava remover a sua base para usá-lo como um tipo de anel.

Além desses significados, há também as crenças religiosas, como alguns sacerdotes que acreditam que as alianças representam duas metades e que juntas formam um inteiro só, ressaltando essa teoria religiosa. E, também, passagens bíblicas que são interpretadas para ressignificar o uso das alianças. 



Por que no dedo anelar? 

Além da teoria de que o dedo anelar tem uma veia  que tem uma ligação direta ao coração, há uma crença chinesa de que é impossível separar uma mão da outra quando estão ligadas pelo quarto dedo e assim é a união do casal. Eles acreditavam que cada dedo da mão representa um membro da família:
- Dedo Polegar: representa os pais
- Dedo Indicador: representa os irmãos
- Dedo Médio: representa você mesmo
- Dedo Anelar: representa seu companheiro
- Dedo Mindinho: representa os filho

Segundo a explicação dos chineses, ao se unir os dedos das duas mãos pela ponta dos dedos, exceto os dedos do meio que devem estar dobrados um de frente para o outro, todos os dedos conseguem se separar menos o anelar! 

Quanto à mudança do anel da mão direita (no caso do noivado) para a mão esquerda (no casamento), existem duas teorias: uma afirma que a mão esquerda representa a submissão em relação ao cônjuge; a outra afirma que quando se casam, o anel passa para a mão esquerda porque esta se encontra mais perto do coração.